Solidariedade é a nova marca

Em meio a pandemia do coronavírus, vivemos um momento bastante complicado formado por isolamento social, com o comércio fechado ocasionando uma crise social e econômica global. É nesse cenário que ações de solidariedade vêm surgindo na busca de reduzir os efeitos negativos que foram trazidos pela COVID-19, não só para empresas, mas também para a população. Organizações como AMBEV, O Boticário entram nessa corrente de solidariedade auxiliando na produção de artigos importantes para o combate à doença como o álcool em gel, destinados aos hospitais públicos que sofrem com a falta de materiais e equipamento. O Ifood também busca auxiliar os pequenos restaurantes e entregadores, categoria de empreendimentos mais afetados pelo isolamento social. A companhia anunciou um fundo de auxílio de cerca de 50 milhões de reais. O Brasil conta hoje com cerca de 5 milhões de empresas varejistas, em sua maioria o faturamento chega até no máximo 5 milhões. Dessa quantidade de empresas, apenas 1% vendem seus produtos digitalmente. Nesse contexto a Magalu criou o projeto “Parceiro Magalu”, focado em ajudar os micros e pequenos empreendedores, além dos profissionais autônomos, a manter seus negócios funcionando. Segundo uma pesquisa elaborada pela Rede Brasil do Pacto Global, iniciativa de sustentabilidade corporativa da Organização das Nações Unidas (ONU), o atual momento gera uma pressão diferente nas empresas “As companhias têm de agir com cidadania empresarial para a continuidade dos negócios e da economia como um todo”. Ainda segundo essa pesquisa, a pandemia despertou um sentimento de comunidade que a muito tempo não era vista, a última vez que uma onda de solidariedade como essa foi registrada, foi no pós-segunda guerra mundial. Essas ações não são promovidas apenas por grandes organizações, diversas são as ações que vêm surgindo através de pequenos negócios e até das próprias pessoas que auxiliam na produção de máscaras e outros equipamentos de proteção, além da coleta e distribuição de alimento para a população mais pobre que sofrem com desemprego ou perda de parte de seus salários. E você? Já está fazendo parte dessa onda solidária? Como ações de solidariedade suas podem ser benéficas para a sociedade e para a sua marca? São momentos como esse em que podemos ver o potencial que existe nas pessoas e nas organizações, em fazer o bem e ajudar o próximo.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *