Crescimento do E-Commerce no Brasil durante a quarentena.

O comportamento de consumo no mundo inteiro mudou devido aos efeitos da pandemia. Lojas fechadas e consumidores em quarentena, fizeram com que o E-Commerce se tornasse a forma mais segura de comprar produtos ou consumir alguns serviços sem precisar sair de casa. 

No Brasil, o mês de março foi quando os números do setor começaram a crescer, momento no qual a população passou a ficar de quarentena em suas residências para evitar a contaminação pelo Coronavírus. De acordo com o Fisco, esse crescimento foi de 20% se comparado com o mesmo período de 2019, e seguindo essa tendência, os meses posteriores também apresentaram crescimento bastante relevante, 17% em abril, 37% em maio e 73% em junho. 

Outro estudo realizado pela Conversion Consultoria, mostra que somente em maio, os principais sites de venda eletrônica do Brasil tiveram mais de 1 bilhão de visitas e os setores que mais cresceram no E-Commerce foram:

 

 

O setor que apresentou queda neste estudo foi, como se pode esperar, o de turismo, com 79,41% de queda em relação ao mesmo período de 2019. 

A SEMrush, líder mundial em marketing digital, realizou um levantamento dos sites mais acessados do Brasil e montou um ranking com os 12 que mais cresceram dentro do período de 1º janeiro até 30 de abril, e resultado foi o seguinte:

  • 1 – Amazon.com.br – 56,5%
  • 2 – Magazineluiza.com.br – 50,5%
  • 3 – Mercadolivre.com – 48%
  • 4 – Extra.com.br – 44,7%
  • 5 – Marisa.com.br – 42,6%
  • 6 – Dafiti.com.br – 38,7%
  • 7 – Americanas.com – 37,8%
  • 8 – Natura.com.br – 36%
  • 9 – Elo7.com.br – 35%
  • 10 – Submarino.com.br – 34,4%
  • 11 – Lojasrenner.com.br – 22,9%
  • 12 – Boticário.com.br – 21,7%

Apesar do comércio eletrônico ter crescido, é interessante observar que o comportamento de compra está diferente, pois o ticket médio por compra caiu em relação ao ano passado, com queda de cerca de 6%, o que representa um valor de aproximadamente R$395,80. No Brasil, os consumidores estão mais cautelosos e fazendo compras mais recorrentes de itens do dia a dia, em vez de compras de bens mais duráveis e de maior ticket.

Sendo hoje uma das únicas formas de comercialização de produtos, o E-Commerce tende a continuar crescendo, visto que cada vez mais empresas começam a vender online, assim como os consumidores criaram mais confiança e passaram a realizar compras pela internet. A pandemia continua a criar novos padrões que influenciam diretamente em como o mercado irá funcionar após o coronavírus.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *