COVID-19: Como mercados se reinventam em meio a pandemia

Com o avanço do Coronavírus pelo mundo a crise econômica está cada vez mais clara. Diversos órgãos como a OPEP e o FMI já preveem a retração econômica, e em meio a esse cenário, os negócios de pequeno e médio portes estão sendo bastante afetados, pois as medidas de isolamentos social afetam diretamente no fluxo de clientes e volume de vendas desses empreendimentos. Para Ênio Pinto, Gerente de Relacionamento com Cliente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), a crise pode ser uma oportunidade para o empreendedor buscar inovar em seus negócios, trazendo desenvolvimento e profissionalização.

É nesse contexto que Lucas Leite, consultor CEO da Vende Muito Brasil, afirma que esse é o momento que os negócios possam se digitalizar e aumentar as vendas mesmo em frente à pandemia de Coronavírus. Para ele, “em toda crise, uns choram e outros vendem lenços. Com o online, estaremos do lado dos que vendem lenços e assim transformaremos a crise em oportunidade para sermos melhores, mais eficientes e muito mais digitais”.
Para isso, o consultor dá algumas dicas:
  • Não entre em pânico, pois nesse momento você precisa ser racional para conseguir direcionar esforços e recursos nas melhores oportunidades.
  • Busque meios para continuar trabalhando! Prestadores de serviço e profissionais liberais podem buscar meios para atender seus clientes no online, seja por videoconferência ou plataformas de cursos online
  • Invista nas redes sociais, pois essa é uma solução rápida e barata de você alcançar o seu cliente e demonstrar o seu produto. Fotos e vídeos no YouTube, Facebook, Instagram, com conteúdos relevantes nestas redes sociais, são uma boa maneira de encantar o cliente.
  • Facilite o pagamento do cliente, assim como o envio do produto, respeitando as medidas de segurança, claro. Forneça diversas opções para que ele finalize a compra, além de oferecer formas de entrega expressa.
Como prova de que os mercados digitais conquistam grande força, como era de se esperar, grande parte das empresas digitais estão conseguindo se sobressair frente a crise com a grande quantidade populacional em casa. A Netflix, um dos principais serviços de streaming atualmente, continuou a crescer alcançando um aumento de 5% em suas ações. Segundo David Miller, analista da Imperial Capital, o serviço ainda trará cerca de 7,5 milhões de novos assinantes, tendo em vista que a população mundial que ficar em casa necessita de meios para se entreter. Serviços de entrega também estão sendo beneficiados. Para o CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, enquanto o negócio de transporte de pessoas irá passar por um período de declínio devido ao isolamento, o negócio de entregas, UberEats, cresce significativamente com o delivery de comida. Algumas outras marcas já estão passando por escassez de estoques com o aumento das compras online, como é o caso da Amazon. Ainda temos um crescimento acentuado na busca por ferramentas digitais para realizar conferências online e, nesse meio, quem está se destacando é o Zoom, que oferece serviços de reuniões vídeo, voz e webinar. A empresa viu seu tráfego saltar 47% em apenas um mês, além da receita que cresceu 78%, alcançando um total de 81.900 usuários no mundo inteiro. Em momentos de crise é que surgem inúmeras oportunidades de inovação, portanto, é extremamente importante analisar o seu negócio e ver quais as melhores soluções para que seja possível manter as vendas ou pelo menos reduzir ao máximo os impactos negativos. Seja racional, reflita sobre o seu mercado consumidor e pense como em meio a um momento delicado você consegue se sobressair e, ainda, contribuir para minimizar a atual situação.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *